A Origem Da Auditoria Externa E Sua Evolução No Brasil

A auditoria como profissão conquistou vasta evolução no mercado, realizando serviços que compreendem diversas atividades como um processo para obter evidências que comprovem a adequação das atividades de uma empresa.

Embora o foco da auditoria externa se apresente na área financeira, atualmente é possível estender sua função a diversos setores e segmentos de negócios.

O termo auditor origina-se do latim, que significa “ouvinte”. Sá (2002) diz que "A denominação Auditor é antiga, mas não se conhece ao certo sua origem nem a data precisa em que se consagrou, admitindo-se que pudesse ter sido adotada por volta do século XIII, na Inglaterra, no reinado de Eduardo I, o termo auditor no latim, tem o significado de aquele que ouve ou ouvinte". 

Foi durante a evolução do capitalismo que a auditoria externa teve seu início como serviço. As empresas deixaram de ser exclusivamente familiares e muitas concorrências apareceram, fatores que as obrigaram a expandir seus negócios para suportar o mercado da época.

Na segunda metade do século XVII, a Revolução Industrial motivou a criação de novas diretrizes para as técnicas contábeis e da auditoria externa, o que aumentou a importância das demonstrações contábeis como fator de segurança para os investidores. Isso porque eles passaram a exigir que os registros fossem examinados por um profissional independente.

A condição primordial do trabalho da auditoria externa é a independência. O auditor deve ser independente e imparcial na interpretação dos registros e exercício de seu julgamento. Por isso, o trabalho do auditor preciso ser adequado à normas de auditoria e técnicas aplicáveis ao exercício de sua função.

No Brasil, a auditoria externa emitia Certificados de Auditoria como produto da revisão contábil, mas a partir de 1949, o controle interno foi estipulado como base para o trabalho do auditor e esse Certificado foi substituído pelo Parecer do Auditor, adotado até hoje, embora com normas de auditoria atualizadas.

A auditoria externa ganhou mais espaço em 1965, pela Lei nº 4.728 que regulamentou o mercado de capitais. Foi quando a legislação brasileira mencionou pela primeira vez a expressão “auditoria independente”. Depois o Banco Central do Brasil tornou obrigatória a auditoria externa para quase todas as instituições que integram o Sistema Financeiro Nacional e companhias abertas.

De lá para os dias atuais, mudanças marcantes foram realizadas na profissão, que vem conquistando grande espaço no mercado. Hoje, vivemos o momento das auditorias e, a auditoria externa, através do seu trabalho, busca agregar não só segurança e credibilidade às empresas, mas também melhor controle e maior conhecimento de negócio para auxiliar no planejamento empresarial.